#

.html
Versículo do Dia


sábado, 7 de outubro de 2017

Quando o sentido perde a razão

Texto: Mateus 6.19-24

Introdução
 O maior transtorno emocional na história da humanidade, sempre foi sua preocupação com o amanhã. Se observarmos, superficialmente, as escrituras, é notório destacar quando este transtorno tem legalidade na vida do homem. Quando lemos “E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam (Gênesis 2:25)," podemos considerar que a partir do pecado o homem deu total legalidade este transtorno. 

Com base neste pano de fundo, podemos afirmar que o homem vive o presente preocupado com o que não viveu ou não viveu no passado, afastando de si a paz (Deus - Filipenses 4:7). Por outro lado, tranquiliza sua ansiedade e angústia (Inimigo - 1Pe 5:8).

1-  A busca equivocada pelo ter v22
“A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz.”

A parábola do filho prodigo ensina o quanto a candeia do corpo são os olhos. Pois quanto mais se busca ter de forma equivocada, mais distante do ter se fica, pois para ter é necessário ser.

“Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence Lucas 15:12).”

 O texto reporta quanto aquela atitude distanciou o filho de próspero, uma vez que o autor aos Hebreus relata que “onde há testamento, é necessário que intervenha a morte do testador (Hebreus 9:16).”

2-  A busca equivocada gera desiquilíbrio v23
“Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas!”

Quando o homem permite que os valores materiais assumem primeiro lugar em sua vida, se propõe sofre todas as consequências em busca destes valores, muitos são levados à frustração ou enfermidade, à depressão e as vezes, ao suicídio, tanto físico, como espiritual.

3-  O desiquilíbrio desvia a verdadeira prosperidade v24
“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.”

A parábola do rico insensato, enfatiza o quanto o desiquilíbrio desvia a verdadeira prosperidade.

"Mas Deus lhe disse: Insensato, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será (Lucas 12.20)?"

Nessa parábola, Jesus conta a história de um homem rico que conseguiu uma colheita muito grande em suas terras construindo grandes celeiros afim de armazenar mais alimentos para ostentar sua riqueza por longos anos. Deus, porém, reprova aquele pensamento e diz que ele morreria naquele mesmo dia. Jesus critica o cuidado daquele homem em acumular tesouros na terra e não se preocupar em construir tesouros no céu.

Reflexão:
O que lhe mais era surpreende na história da Humanidade? E ele respondeu:
- Os homens … E justificou...
Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.
E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro.
E vivem como se nunca fossem morrer…
… e morrem como se nunca tivessem vivido.

Conclusão v19-21
“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam;
Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.
Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.”

Por: Pastor Carlos Eduardo (Pr. Kadu)

Avalie o artigo:

0 comentários:

Postar um comentário

Todo tipo de comentário desrespeitoso será deletado.