domingo, 18 de novembro de 2012

O que nos separa do amor de Deus? Rm 8.31-39

1 comentários

Introdução:
O texto expressa a certeza de um amor incondicional, entre tanto, o que significa este amor?
 A resposta depende da certeza da fé que de cada criatura.
No v35 encontramos uma pergunta condicional: “Quem nos separará do amor de Cristo?”. Já no v39 uma afirmação incondicional: “(nada) será capaz de nos separar do amor de Deus”. No verso 35 o apostolo Paulo apresenta 7 adjetivos ou adversidade que tem separado muitas pessoas de Deus.
Façamos um contraste entre: As dúvidas geradas por nós, a adversidades apresentada pelo apostolo e a ação Divina em nossa vida.

 1 – A dúvida vs31-34
31 - Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?
32 - Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?
33 - Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.
34 - Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.

O texto expressa o amor de Deus para com toda criatura, e ainda assim, encontramos pessoas passando por situações mal resolvidas colocando diante d'Ele os porquês da vida. Depositam sua maior confiança no que pode fazer tirando toda e qualquer autoridade de Deus para sua caminhada e quando leem este texto, logo lhe gera dúvidas, quando na verdade a interrogação contida no texto expressa uma ação continua de Deus para com seu povo.

 2 – As adversidades vs35-36
35 - Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?
36 - Como está escrito: “Por amor de ti enfrentamos a morte todos os dias; somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro”.

Vivemos dias onde o profano tem tomado o lugar sagrado. Onde predomina o ditado: “Se conselho fosse bom não se dava, vendia”. Quantas vezes você já ouviu de outrem ou até mesmo já expressou está frase para alguém?  Paulo nos apresenta sete adversidades:
Tribulação, angústia, perseguição, fome, nudez, perigo e espada?
Podemos pensar em cada uma delas em forma de fruto.
Alguns pensariam em um possível surto teológico, de minha parte. Digo isso por que  entendo que só se joga pedra em árvores que dão frutos, tenho plena certeza que quando entendermos assim sairemos do nosso estado de lamentação, fazendo de nossas tribulações o desejo do coração de Deus.

 3 – A certeza do amor de Deus v37-39
As provações e dificuldades apresentadas no v35 não apenas podem nos separar do amor de Cristo, como podem nos tornar mais dependentes d'Ele.

37 - Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.
38 - Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,
39 - nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Certamente, não há o que pode separar-nos do amor de Deus, nem mesmo quando não reconhecemos Seu Filho como salvador, pois mesmo quando saímos do Seu caminho, o Senhor permanece batendo a porta do nosso coração, respeitando nossa escolha, entre tanto, não desiste de nós.

 Conclusão
Precisamos nos conscientizar que todas as coisas cooperam para aqueles que amam a Deus e que foram chamados para o Seu decreto. Lembremo-nos, fomos chamados para este decreto. A única coisa que pode nos separar do amor de Deus, somos nós mesmos.
Que Deus nos atente para esta realidade e nos abençoe.

Por: Carlos Eduardo

1 comentários:

Pr. Kadu  disse...

Obrigado Senhor, por jamais me deixar só. Te amo Jesus!

Postar um comentário

Todo tipo de comentário desrespeitoso será deletado.

 
Carlos Eduardo - Copyright © 2014 All Rights Reserved.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...